Grupo no facebook

O Facebook é o lugar ideal para encontrar pessoas com o mesmo interesse. Dentre os muitos grupos de RPG na rede social, o D&D 5E - RPG BRASIL é um dos maiores no país, com 42,1 mil membros e quase mil publicações mensais. Voltado para o sistema de Dungeons & Dragons, é um ambiente criado para discussões amigáveis, dúvidas e dicas postadas pelos jogadores, como consta em sua descrição:

“Nós da D&D 5E - RPG BRASIL somos uma comunidade de jogadores, fãs, amigos e colegas que se reúne aqui para debater e conversar sobre o nosso hobby: o RPG! Em especial o clássico Dungeons & Dragons que chegou a sua 5º Edição. A única regra aqui é o bom senso e a democracia. Sejam bem Vindos! (Para maiores detalhes, leia o post fixo).”

SETA 4.tif
LINHA 1.tif

O grupo está em funcionamento desde 15 de janeiro de 2015 e possui seis regras simples voltadas para o conteúdo das postagens, como é o caso de publicidade e memes que são proibidos nessa comunidade. A equipe é formada por oito moderadores e administradores e possui uma infinidade de arquivos publicados por jogadores e membros da moderação, com o objetivo de divulgar conteúdo, regras e material autoral. 

Eduardo Luiz era um membro ativo do grupo antes de se tornar moderador: “Eu conheci o grupo porque ele é relativamente grande e eu estava afim de discutir RPG. (...) Eu gosto de ensinar RPG e eu acho que D&D é o melhor modo de você começar a jogar. Todo mundo joga D&D. Se você sabe D&D, você é membro de um grupo”. Depois de entrar na comunidade, Eduardo passou a fazer postagens explicando regras e compartilhando aprendizados que não estão formalizados nos livros. Isso chamou a atenção dos moderadores que o convidaram para fazer parte da organização. 

Sua função na comunidade é manter um diálogo produtivo entre os membros. “Basicamente eu sou uma babá de adulto. Eu impeço que as pessoas deem pitis. O trabalho no geral é bem fácil, porque eu não acredito que pessoas adultas tenham que ser silenciadas, punidas ou banidas. Você pode conversar com elas”. Apesar de alguns comportamentos no grupo serem sujeitos a banimento, como qualquer tipo de preconceito, Eduardo nunca tirou ninguém do grupo e conta que teve mais problemas com a equipe moderadora do que com membros. “As pessoas no grupo tendem a te respeitar porque elas não querem ser banidas. (...) Mas tinha muitos bate-cabeças contra a staff”. De acordo com o narrador, esses conflitos surgiam da divisão de opiniões com relação ao banimento de membros. Enquanto ele e outros moderadores acreditavam que o diálogo era a melhor resolução de problemas, outros queriam regras mais rígidas. Com o tempo, aqueles com pontos de vista mais extremos foram deixando a moderação, o que amenizou os conflitos. 

Eduardo está em muitos outros grupos de RPG no Facebook, alguns deles formados por pessoas que foram banidas do D&D 5E - RPG BRASIL no passado. Mesmo não tendo concordado com essas decisões, ele explica que ser um moderador faz com que pessoas de fora da comunidade “te olhem feio”.  Para se afastar desses problemas, ele evita opinar e prefere publicar seus textos sobre o jogo na comunidade que modera, pois servem como chamariz para jogadores. O narrador está satisfeito com o formato do grupo atualmente, pois ele promove uma discussão sobre o jogo que não é séria ou enfadonha.

A respeito dos membros da comunidade, Eduardo conta que recentemente foi realizada uma enquete no grupo para saber quanto tempo de mesa seus integrantes tinham: “30% jogavam RPG há uns 17 anos, desde que o mundo é mundo. O resto, quase 60% jogavam RPG há no máximo 5 anos, elas eram novas. E entraram no RPG no período em que o grupo existia e outros grupos existiam. Não estou falando que é só nosso grupo, mas é algo do Facebook, que está tornando o RPG popular do seguinte modo: uma pessoa ficava curiosa sobre RPG e não tinha onde procurar. E agora tem, que é o papel do grupo.” Eduardo acredita que essas comunidades são muito eficientes para encontrar mesas e diz que já realizou campanhas inteiras apenas com pessoas que encontrou no grupo, oferecendo vaga nas suas mesas.

O narrador também relata que muitas das regras do grupo relacionadas a discriminação foram criadas sob a tutela de uma moderadora trans, que hoje não faz mais parte da equipe. Recentemente, o grupo se posicionou politicamente pela primeira vez em sua história. “A comunidade adicionou uma cláusula falando que é anti-Bolsonaro. Ela quebrou sua neutralidade frente ao mundo atual. A gente ainda tenta manter uma lei relativamente neutra, mas a comunidade tomou uma posição firme, não vamos tolerar nada disso”. Eduardo afirma que nesse aspecto o grupo melhorou bastante nos últimos anos.